sexta-feira, 6 de março de 2009

Carta ao amigo Sílvio Meira

Como amigo de escola, preciso lhe dizer que gostei pela metade da sua entrevista na HSM Management, de janeiro-fevereiro/2009. A metade representada pela sua exaltação às inovações induzidas pelo próprio mercado - as de "market pull". Mas acho que você não deveria ter "jogado às traças" as inovações induzidas pela tecnologia - as de "technology push". Afinal, Richard Feynmann, seu/nosso ídolo é o "pai" da nanotecnologia.
Você exaltou também em demasia esse pessoal de venture capital, que muitas vezes se cega por pura arrogância. Quando algum pesquisador/empreendedor com um produto/prova de conceito com grande potencial de inovação recebe um "não" deste pessoal, faço as minhas palavras as de Nelson Rodrigues, "se um dia, a vida lhe der as costas ... passe a mão na bunda dela!"

Obviamente não há como discordar que anovação só se manifesta quando gera valor econômico, ou seja, no mercado. A visão shumpeteriana de invenção =/ (diferente) inovação é a síntese disto. Schumpeter diz que invenção só é inovação quando se manifesta no mercado, trazida pela empresa e não pela academia. Mas não nega suas origens, ou seja, parte delas podem ser induzidas por tecnologias. Nanotecnologia, por exemplo, está induzindo muitas inovações e em algumas aplicações, criando o próprio mercado. Tecnologias, em essência, são meta-mercados, exatamente porque podem endereçar mercados existentes ou podem induzir novos mercados. Tecnologias transformam mercados estáticos em mercados "entrópicos".

Insisto que não estou discutindo o conceito de inovação. Estou tratando de suas origens. Claro que há necessidade de mudança de comportamente dos agentes, como fornecedores e consumidores, mas em alguns casos, esta mudança é induzida por "empurrometria da teconologia". Nem 8, nem 80. Ainda que o "puxão" do mercado induza inovação, o "empurrão" da tecnologia também induz a inovação, às vezes criando o próprio mercado.

(nós de TIC "empurramos pela goela da sociedade" nossas tecnologias mais que qualquer outra industria no sentido econômico)
Abraço

Um comentário:

Edmour disse...

Adorei o post...
o blog tá bacana.
o que a gente tem mania de fazer é bloco de texto.
só criar espaços entre parágrafos ajuda o leitor a respirar.
ainda tô curtindo nosso almoço.
vai fundo cara.
tua alegria é muito boa companhia.